Causas da Violência Infanto-Juvenil

Causas da Violência Infanto-Juvenil

As causas da violência são complexas e ainda é um desafio explicar os motivos que levam uma criança ou adolescente a praticar crimes violentos.1

Há sempre um conjunto de fatores que contribuem para o comportamento violento. Minha experiência, há mais de 20 anos na justiça brasileira, me permite destacar três importantes causas:

1 – A influência da família e dos relacionamentos (amigos, etc.)

A criança e o adolescente são muito influenciados pelas pessoas com quem convivem. Os amigos podem influenciar profundamente seu modo de agir e pensar, especialmente, quando o convívio é intenso e sem o acompanhamento de adultos.

A família é a maior influência. Pais permissivos ou rigorosos demais podem gerar filhos sem responsabilidade ou agressivos. Há estudos que demonstram que a forma como os pais tratam seus filhos tem consequências profundas e duradouras em sua vida emocional adulta.2

Destaco duas atitudes da família que infelizmente, com muita frequência, têm profunda repercussão no comportamento de crianças e adolescentes:

i) abusos físicos, sexuais e psicológicos. Os abusos constituem uma das principais causas do comportamento agressivo ou violento de crianças e adolescentes. Quem sofre abuso tende a se tornar agressivo, e muitas vezes, pratica a mesma violência com os colegas e amigos. Importante salientar, que não apenas quem sofre o abuso pode adquirir transtornos psicológicos, mas também a criança que presencia alguém sofrer violência.3

Caso real A criança de 5 anos praticava um ato muito incomum com os colegas de escola: introduzia o dedo no ânus dos colegas de sala. Ao investigar o caso, descobrimos que o comportamento decorria do fato da criança assistir o irmão adolescente transar com a namorada. A experiência pornográfica gerou na criança um comportamento repetitivo na escola.

As estatísticas revelam que grande parte dos abusos contra crianças ocorre em ambiente familiar. O autores mais frequentes são: pais, padrastos, tios e amigos da família.

Nem sempre o abuso é grave. Mas nem por isto deixa de ser relevante. Tomemos como exemplo as correções disciplinares. Humilhações em público ou gritos intensos não são abusos gravíssimos mas podem causar profunda revolta e até traumas psicológicos na criança ou adolescente. Esta pode ser a causa direta de futuros comportamentos violentos. Se pudesse dar um conselho aos pais e mães (e professores também) diria: “Reflita sobre a frequência com que você grita com seu filho (ou aluno). O grito é a antessala da violência e sua reiteração exagerada pode constituir abuso moral. Faça-o apenas quando necessário.”

ii) negligência. A negligência consiste na desatenção ou negligência moral ou material com o sustento, orientação e educação dos filhos. Pesquisas revelam que a negligência da família pode ser ainda mais prejudicial do que abusos físicos. Embora ambos sejam degradantes para a formação criança ou adolescente, o abandono e a desatenção podem provocar maiores danos psicológicos.4

2 – A Personalidade da criança ou adolescente

A criança ou adolescente possui uma personalidade ou caráter. Liderança e inteligência, por exemplo, são muito importantes para compreender seu envolvimento em casos de violência. Características como corajoso, empreendedor, líder ou organizado podem se referir tanto a um empresário de sucesso, como a um assaltante de bancos. O que os diferencia é para onde encaminharam suas habilidades, para o bem ou para o mal.

As famílias e professores devem estar atentos ao caráter das crianças e adolescentes, para orientá-los e direcionar suas habilidades a atitudes benéficas. Conflitos são ótimas oportunidades para fazer isto.

Caso real Quando observamos atentamente um grupo de pichadores, percebemos que há muitas diferenças entre eles. Uns são violentos e agressivos, outros são artistas e contestadores e um terceiro grupo quer apenas a adrenalina do momento. São pessoas diferentes, com habilidades e caráter diferentes. Ao identificar a individualidade de cada um, fica muito mais fácil agir para transformar suas vidas.

3 – A emoção do momento.

A maioria dos crimes não é premeditada, mas ocorre por razões do momento. O consumo de drogas e álcool é um dos principais fatores para a prática de crimes. Só para se ter uma ideia, 90% de todos os estupros oficialmente registrados em universidades norte-americanas ocorreram quando o agressor ou a vítima – ou ambos – tinha ingerido bebida alcoólica ou drogas. Não é por outro motivo que cerca de 40% dos crimes ocorrem entre a noite de sexta feira e a madrugada de domingo, período de maior consumo de álcool e drogas.

Provocações em público, disputas por namoradas ou discussões em geral são fatores importantes. Neste sentido, orientar e ensinar crianças e adolescentes a pensar antes de falar e a analisar o contexto emocional em que se encontram é muito importante.

Precisamos estar atentos a estas três causas, para bem orientar e educar crianças e adolescentes.

1Manual do Professor, de minha autoria, capítulo 3, O Aluno.

2Os três padrões mais comuns de pais emocionalmente inábeis são:

a) os que ignoram as emoções do filho, considerando seus sentimentos algo banal ou insignificante.

b) os que permitem tudo e não impõem limites morais ao filho.

c) os muito rigorosos, desaprovadores ou severos nas críticas ou castigos.

Inteligência Emocional, Daniel Goleman.

3Inteligência Emocional, Daniel Goleman, pág. 215/16

4Inteligência Emocional, Daniel Goleman, pág. 213.

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comment this post!

Deixe seu Comentário